0
O Conceito da família e os seus níveis na sociedade Kongo

A tradição Kongo tem várias referências identitárias. Quanto ao conceito de família, existem vários níveis: luvila, Kanda, vumu, ngudi e Nzo.

001

Luvila (clã). Consideremos um exemplo: se um Kongo vai para outra aldeia Kongo, onde ele não conhece alguém, para pedir uma mulher com fins de casamento, não se pode evitar a questão de sua luvila.

O termo luvila, que pode ser traduzido pela palavra “clã”, um espaço designado – a maior parte teórica – membro da família definida como uma entidade de base, uma personalidade jurídica, incluindo vínculo pessoal como PASSADO, PRESENTE E FUTURO conectados, eles compartilham a mesma vida de descendência matrilinear de um ancestral comum em algum lugar, originalmente no início da época da fundação da sociedade, clã.

O espaço delimitado reúne homens e mulheres que não podem se casar porque eles terão o mesmo nome, porque eles são um luvila mesmo dentro da comunidade étnica.

No entanto, esse pessoal não pode saber. Muito tempo depois da fundação da sua luvila que, depois de memória mitológica remonta, ao tempo da fundação do Reino do Kongo, a sua pertença comum tornou-se vago e que não vivem mais juntos. São disseminadas em várias aldeias e centros urbanos. Então, somente o nome da sua luvila, história e especialmente a memória referências mitológicas permanece a sua identidade.

As comemorações das festas e de funerais proporciona a oportunidade de apresentar-se após um ritual dado a cada pessoa interpelada, cada pessoa cuida de seu nome e recusa-se a recordar alguns fatos alto negativos na história, com a arte oratória. No luvila o orgulho e a arrogância fazem parte. O luvila é um rótulo, marca uma marca que o leva a dizer que ele afirma ser. Ele fornece um quadro geral de pertença.

Kanda (linhagem). vumu (útero) e ngudi (mãe). No interior de cada luvila existe vários níveis ou círculos de parentesco familiar. Muitas vezes falamos de três:

1) O primeiro é o nível mais amplo, o Kanda (Makanda plural. linhagem), que inclui as pessoas se referem a um ancestral comum na luvila. Mas isso ainda é tão ancestral remoto que pode servir como referência para organizar e gerir as relações da assistência mútua necessária.

2) O vumu(útero) nível seguinte, que reúne ,os remete para um ancestral comum, uma kanda e viver uma vida em comum onde a ideia da família é uma realidade, com a solidariedade moral, emocional e obrigatório e é uma responsabilidade recíproca de todos.

3) Depois, o nível de ngudi (mãe) é uma subdivisão do vumu aonde a vida é organizada e gerida em torno de um antepassado direto e um ancião em vida de forma responsável.

002
Máscara do Uíge

Cada nível tem uma dupla estrutura interna. O primeiro mostra e se livrar de precedência, mais simbólico do que real, entre linhas ou subdivisão na filiação de uma luvila, uma kanda ou um vumu. Geralmente três linhas ou subdivisões, cada um que se chama muana (filho, plural bana).Muan’a mbuta ou zulunkulu (filho primogénito), o segundo filho e muana nsuka (Cassulo).

A segunda estrutura para diversas categorias de pais que são expressos por termos de Ba Nkaka (Avôs) e tios maternos (Ngudi za Nkazi) que são irmãos e primos maternos da mãe, apesar de serem homens, representam legalmente o ngudi (a mãe), de igual modo os sobrinhos maternos (Bana nkazi) e sobrinhos-netos matricial de vínculo (Ntekelo). Novamente cada classe é associada à ideia de hierarquia e atitudes a fim de respeito, reserva ou consideração em relação à geração imediatamente superior.

Todas as pessoas, homens ou mulheres, pertencente a cada um destes círculos, considerando-se KIMA-MOSI (Uma coisa, união). Mpangi ou zi-pangi(Entre irmãos) todos são proprietários ou responsáveis uns aos outros. Por conseguinte devem se abster-se de se casar entre eles, assim, comprometendo-se a um marido ou esposa com outros luvilas.

O Nzo (Lar) ou Lumbo (conjunto de lares no caso da poligamia) é ultimo e mais baixo nível da família. Ela reúne só espaço, mesmo sob uma autoridade masculina, pessoas na sua maioria relacionadas, mas não necessariamente o mesmo ngudi, vumu ou luvila. Um Nzo ou Lumbu pode albergar para além do pai, da mãe e filhos, primos colaterais, cunhados, a mãe, o pai, a madrasta ou padrasto dos casais, etc. Este círculo representa a unidade residencial, o domestico.

Texto extraído e traduzido do livro Itineraire d’un Nganga.
Adaptado por Arthur Mambulekwala

Ilabantu
Your Name Email Website